Correio do Minho

Guimarães tem mais um motivo de visita na quadra pascal com a segunda edição do Festival de Música Religiosa que, este ano, proporciona ao público 11 concertos em nove dias, a par de duas conferências e uma exposição itinerante.
O Festival de Música Religiosa de Guimarães (FMRG) ecoa da congregação de esforços entre o município, a Sociedade Musical de Guimarães e a Santa Casa da Misericórdia local, a quem se junta, este ano, a Arquidiocese de Braga.

Para o presidente da Câmara Municipal de Guimarães, Domingos Bragança, que falava ontem na apresentação da segunda edição, o sucesso do FMRG, que se realizou pela primeira vez o ano passado, “deveu-se à cooperação entre as diversas entidades, este ano reforçada com o envolvimento do arciprestado de Guimarães e Vizela”.
A envolvência das diferentes entidades faz com que os vimaranenses se sintam representados, afirma o edil, corroborado pelo vereador da Cultura, José Bastos, que destaca a “participação activa dos diferentes parceiros numa verdadeira articulação”.

Domingos Bragança assume que o objectivo é tornar o FMRG um evento “incontornável no roteiro cultural da Páscoa da nossa região, nacional e, também internacional”.
O director artístico do festival, Pedrosa Cardoso, aponta-o como “uma actividade singular no país” que “se impõe por si mesma”.

Pedrosa Cardoso fala de “uma semente lançada há dois/três anos e que germinou o ano passado com muito sucesso”, medido pela adesão do público e pelos vários parceiros envolvidos.
“À medida que o festival se afirma, iremos aperfeiçoando o que possa ser melhorado” aponta o presidente da Cãmara de Guimarães, antecipando a sua disponibilidade para reforçar a dotaçao financeira que, neste segunda edição, ascende a 60 mil euros.

A provedora da Santa Casa da Misericórdia de Guimarães, Noémia Carneiro, entidade que organiza a exposição de arte sacra itinerante, garante que a instituição está “de corpo e alma neste projecto” e enriquece a mostra com novas peças.
Eduardo Magalhães, da Sociedade Musical de Guimarães, dá conta da adesão da instituição a uma iniciativa de “mérito cultural e musical”.

Venha desfrutar da música composta sob o signo da religião

A Semana Santa é “um tempo oportuníssimo de espitualidade para se apreciar a música religiosa” aponta o director artístico do Festival de Música Religiosa de Guimarães (FMRG), Pedrosa Cardoso, deixando o convite para a segunda edição que decorre entre 2 e 16 de Abril.
A sexta-feira santa é o ponto alto do festival com a Orquestra Divino Sospiro a trazer a ‘Harmonia Ibérica da Paixão’ à Igreja de S. Francisco, às 17 horas.

À noite, pelas 22 horas, é a Sinfonia n.º 2 de Mendelssohn, que ecoa no Centro Cultural Vila Flor, pelas vozes da Orquestra de Guimarães, solistas e coros.
Uma das novidades deste ano do FMRG é um concerto no domingo de Páscoa, a cargo de um dos cinco grupos do concelho que participam no festival - o Orfeão de Guimarães, e que acontece às 17 horas e encerra o evento.

A formação também tem espaço no FMRG com um curso de iniciação ao canto gregoriano que vai realizar-se, nos dias 11, 12 e 13 de Abril, nas instalações da Associação Comercial e Industrial de Guimarães.
Em representação da Arquidiocese de Braga, um dos parceiros do festival, o padre Henrique Ribeiro, deixa o convite a todos os cristãos a participarem no curso, em especial os coros e movimentos paroquiais.

Entre os muitos concertos e recitais - um de órgão e outro de piano - o programa - que pode ser consultado no site oficial fmrguimares.org - reserva ainda espaço para duas conferências: no dia10, ‘Tradição e modernidade - o Concílio de Trento e a iconografia pós-tridentina” e ‘O som que preenche a igreja: facetas do antigo canto litúrgico’ no dia 11.

 

http://www.correiodominho.com/noticias.php?id=100603